BERNARD BOUTET DE MONVEL

        
Escultor, pintor e decorador, Bernard Boutetde  é um dos artistas do Art Deco que mais admiro. Considerado um dos homens mais bonitos e de maior bom gosto na Paris dos anos 20 e 30, encantava Príncipes e Marqueses além de toda a sociedade internacional abastada da época. Seu estilo de pintura retilíneo é masculino mas a graciocidade das cenas e movimentos do assunto explorado cria a harmonia necessária para equilibrar a geometria do seu estilo de pintar e desenhar. Portraits “em perfil” é uma de suas particularidades. A grande decoradora Lady Mendl ( née Elsie de Wolf ), Marquês de Cuevas, os du Pont, Vanderbilt e Frick foram retratados por Bernard Boutet ( assinava BB do lado esquerdo das obras) com grande elegância  e resultado quase hiperrealista. Pesquisando um pouco mais sobre sua postura e alto gosto, posso afirmar que BB emprestava todo seu garbo a quem quer que fosse retratado. A Sotheby’s Paris coloca à venda dias 5 e 6 de abril seu acervo particular que inclui inúmeras pinturas, móveis e objetos pessoais que estiveram guardados pela família. www.sothebys.com

A pintura acima do Maharadjah D’Indore é uma das mais conhecidas
   Bernard Boutet de Monvel, 1881 Paris e faleceu em 1949 no desastre aéreo nos Açores

  
A esquerda “Le Colonel Dimitri D’Osnobichine”  e a direita Le Prince Sixte De Bourbon-Parma

 L’Abondance et Apollon

   Diane et Actéon 

Portrait de William Kissam Vanderbilt, Jr.

  
Etudes de Palmiers et de Végétation

EMERALD 

  

  O multi facetado cabinet de laca verde esmeralda e base dourada, design Boca do Lobo, remete a preciosidade estonteante do anel de noivado que Wallis Simpson ganhou de Edward VIII. Cartier enviou um de seus buyers de pedras preciosas para a India e mandou que comprasse o que encontrasse de melhor. O enviado usou todo o dinheiro em uma única gema. Comprou a esmeralda mais rara da história. Ao voltar para Paris, Monsieur Cartier mandou que o tal funcionario apresentasse as aquisições. Imaginem a cara de Cartier quando viu que o funcionario usara todo o budget para comprar uma unica pedra ao invés de adquirir várias. O tal enviado foi totalmente perdoado qdo seu boss viu a raridade em suas mãos. Era uma esmeralda tão grande que foi cortada ao meio, ficando com 20 quilates para a montagem do anel acima. A outra metade não se sabe quem adquiriu mas vou descobrir!

MAINBOCHER

  

  
125 anos atrás nascia o estilista mais sofisticado dos anos 30. Main Rousseau Bocher, americano de origem, fez fama na Europa através de seu atelier de costura na Av. George V em Paris. Vestiu as mulheres mais estilosas e mililionárias por décadas mas foi Wallis Simpson quem melhor desfilou suas criações clássicas-diferenciadas mesmo antes de se tornar Duquesa de Windsor. Wallis já chamava atenção pelo que usava, tanto que encomendou a Mainbocher todo seu enxoval íntimo e o vestido de noiva azulado com casquete transparente, concebidos para dar uma certa aura de beleza e realeza ao seu rosto nada bonito. O tom de azul pálido acinzentado do vestido de noiva foi batizado Azul Simpson. O grande fotógrafo Horst P. Horst imortalizou o famoso corset Mainbocher em uma de suas fotos. Mainbocher definiu a silhueta da década de 30, até então sem muita forma. Abaixo, um pouco mais do universo Mainbocher, que como tudo que é sofisticado e refinado, é conhecido por poucos. Joyeux Anniversaire Man ! 

  

   
  
  
 
    

Edward VIII – Duke of Windsor


É sabido que o Duke de Windsor é considerado o homem mais estiloso do século XX, mas muitos não sabem o que caracteriza e distingue seu gosto dos outros mortais. Seu closet ( foto abaixo) era recheado de calças e paletós xadrezes em diversas cores. As vezes xadrez miúdo outras vezes esta padronagem super nobre era extra large apesar de DoW ter sido um homem de baixa estatura. O truque era usar os paletós mais curtos para alongar as pernas.

Confiram a lista abaixo que faz seu estilo único inspirar o guarda roupa masculino

• Alfaiataria from top to bottom

• Tweed, tweed e tweed sempre

• Cravo branco na lapela do smoking sempre usado acima do lenço branco no bolso

• Blazer e paletós com quatro e até cinco botões na manga

• Meias de cor diferente da calça

• Meias Argyle, as famosas meias escocesas em losangos

• Camisas com monograma abaixo do peito

• Calças com cintura alta

• Cintos de tecido

• Adotou sapatos marrons com terno marinho, algo inédito na sua época

• Gravata borboleta de gorgorão ou seda com micro desenhos enquanto os outros usavam de cetim liso

• Polo shirts com paletós xadrezes

• Multipattern outfit com gravata e lenço quadrado de bolso com estampas coordenadas mas jamais combinadas

• Spectator shoes em marrom e off white

• Abotoaduras com monograma

• O nó que leva seu nome, o famoso nó Windsor , não era o que usava. Seu nó era o Four in Hand, usado de maneira própria, torcendo um pouco o nó. Já o nó Windsor foi criado em sua homenagem pelos american College boys, que usavam gravatas mais streitas

• Seu estilo é considerado ” dress soft” por privilegiar o conforto na maneira de vestir. Foi um dos primeiros a usar paletós não estriturados. Nada mais deliciosamente confirtável e chic desde então

• Bolsos retos nos paletós

• Bolsos mais profundos nas calças, especialmente do lado esquerdo para colocar as cigarreiras quadradas que tanto gostava

• Fair Isle suéter para jogar golfe

• Swimming trunks e beach shorts xadrezes viraram febre no mundo todo a partir dos anos 30, inspirados pelo Duke

• Nos anos 20, passou a usar smoking em azul escuríssimo, chamado midnight blue , no lugar do tradicional smoking preto. A explicação por trás deste capricho fzz todo sentido: DoW dizia que o azul escuro ao contrário do preto, realçava a textura, lapelas, bolsos e botões e ficavam mais aparentes nas fotografias em preto e branco