A Lua Nova de Áries que teve início ontem enfatiza as energias deste signo pioneiro e lançador de tendências sem perder seu pedigree classique. A VOGUE PARIS enfatiza na capa da edição de Abril as características ariano-soberanas ! Seja vc do partido Tradicionalista ou Modernista a moda agora é a sac-pochette ou “carteira” super flat. Deixe de lado a clutch bombée ou gordinha e saia mais de uma vez com a magrinha que é mais lindinha! ( Recomendo usar com alças para o dia e sem alças para a noite ). #news #trends #now #vogueparis #ultramoderneclassique #sacpochette #carteira #flat #ladies #tailleur #chanel @chanelofficial @vogueparis #approvedbylordrollo #appointedbylordrollo

A Lua Nova de Áries que teve início ontem enfatiza as energias deste signo pioneiro e lançador de tendências sem perder seu pedigree classique. A VOGUE PARIS enfatiza na capa da edição de Abril as características ariano-soberanas ! Seja vc do partido Tradicionalista  ou Modernista a moda agora é a sac-pochette ou “carteira” super flat. Deixe de lado a clutch bombée ou gordinha e saia mais de uma vez com a magrinha que é mais lindinha! ( Recomendo usar com alças para o dia e sem alças para a noite ). @chanelofficial @vogueparis

98 looks and Lord Rollo chooses only 1 ???? There’s must be something really wrong with Chanel…. Chanel desfila 98 looks com cenario e pegada “falsamente ” futurista para “rejuvenescer” a marca. Falsa pq ao invés de ir para frente, volta aos anos 1960. O rumo ao futuro gera pane e a aeronave plantada no meio do cenário dá marcha ré e aterrissa no passado fantasiado de prateado. Chanel manda o Chic para o espaço ! E o piloto? Esse já tá bem louco ! #chanel #couldbebetter

51 looks and Lord Rollo chooses only 1 ???? There's must be something really wrong with Chanel.... Chanel desfila apenas 51 looks com cenario e pegada "falsamente " futurista para "rejuvenescer" a marca. Falsa pq ao invés de ir para frente, volta aos anos 1960. O rumo ao futuro gera pane e a aeronave plantada no meio do cenário dá marcha ré e aterrissa no passado fantasiado de prateado. Chanel manda o Chic para o espaço ! E o piloto? Esse já tá bem louco !

Villa Santo Sospir

  

Saint Jean Coctau, assim apelidei o poeta, cineasta, pintor e cenógrafo Jean Cocteau ( 1889-1963) que é um dos nomes franceses mais completos das artes no século XX. Sua sensibilidade, delicadeza para o bom gosto me deixam arrepiado. Visitei sua casa de campo Milly La Forêt , próxima a Paris, faz alguns anos e só depois descobri que passou sua última década na Côte d’Azur, na Villa Santo Sospir em Cap Ferrat, casa de verão da grande amiga e mecenas Francine Weisweiller. Cercados por amigos desconhecidos ou visitantes ilustres como Picasso, Matisse, Chanel, Bernard Buffet, princesa Agha Khan, príncipe Ali Khan entre outros, Francine e Cocteau passavam seis meses por ano nesta casa-refúgio despretenciosa e prá lá de chicosa. Monsieur Eric Marteau, marido de Carole Weisweiller ( filha de Francine) recebeu o site FR e contou detalhes curiosos da turma que enchia de vida esta casa que por pouco mais de uma década, foi o centro do mundo dos chics de verdade na Côte d ‘ Azur. Um pouco escondida entre as ruas no topo de Cap, logo depois do Grand Hotel du Cap Ferrat, Santo Sospir pode passar sem ser percebida, ao contrário de outras mansões imponentes ao redor. A primeira vista da casa que foi construída nos anos 30, já me deixou excitado… não via a hora de entrar. Em frente à porta de entrada, o piso de mosaico branco e preto, assim como outros painéis no jardim, foi desenhado por Cocteau. Branco e preto para representar as forças Yin e Yang, o masculino e o feminino, a bissexualidade que o encantava assim como figuras animais incorporadas à formas humanas. O decor da casa é de Madeleine Castaing, a mulher mais importante da decoração francesa. Carpetes de leopardo, mobiliário de Java, revestimento de bambu são típicos do estilo Castaing e não poderiam faltar nos interiores de Santo Sosphir. As paredes brancas da casa, foram tatuadas, pintadas por Cocteau ao longo do séjour em Cap. A casa é mantida por Caroline e Eric que gentilmente abrem esta caixa de jóias para o público. Já visitei lugares lindos, exuberantes, luxuosos e tal…nada me deixou tão apaixonado como o espírito do verdadeiro chic impregnado nas paredes e no astral de Santo Sospir. Comme d’habitude, fiquei quase sem fala ao sair de um lugar encantado como este. Fui direto para a piscina do Grand Hotel a coté e devido ao sol forte e ainda fascinado pelo que vi, fiquei boiando de olhos fechados nas águas salgadas e transportei-me para uma era onde os artistas ainda faziam sucesso por seu talento. Acordei com a sensação de que o universo estiloso de Santo Sospir é para bem poucos! 

    

Bien Venue a Santo Sospir

    

Mosaico branco e preto criado por Cocteau

  

  
As paredes brancas foram tatuadas pir Cocteau com crayon e tinta   

    

Sala de jantar toda revestida de bambu trançado. A tapeçaria d’Aubusson é assinada por Cocteau  

    


 
 Dormitório de Francine Weisweiller     


No porta retratos, Arturo Lopez, sua mulher Patricia,  Francine Weisweiller em Dior, Cocteau e Doudou seu companheiro

  

Todos os desenhos nas paredes são assinados por J C

  

O quarto de Carole Weisweiller pintado com temática ” Iniciação de Bacus”

    

Quarto de Cocteau com mobiliário de Java escolhido por Madeleine Castaing

  

Dormitório de hópedes com camas de ferro em estilo siciliano

    

Monsieur Eric Marteu abre as portas da Villa Santo Sospir para o Site FR 

 

Pinte o Set ! 

   
 

Grandes decorações foram eternizadas por desenhos, watercolors, pintura a óleo ou até mesmo desenhos feitos no Ipad como adora David Hockney,  As aquarelas minuciosas de Alexandre Serebriakoff que trabalhou para todos os chics da Europa, parecem fotografias. As vezes dois ou três traços e já se tem idéia do décor com seu ilustre morador como gostavam de pintar Cecil Beaton ou Christian Bérard. Eternize os interiores com ilustrações, watercolors, óleos ou crayon como fizeram artistas detalhistas e de mão firme como Alexandre Serebriakoff que reproduziu os interiores mais importantes da sua época. Acima, sala íntima dos Windsor pintada por Serebriakoff. 

 

Wallis Simpson por Cecil Beaton

   

Chanel por Christian Bérard

 

  

Coco Chanel por Cecil Beaton

      Mais Cecil Beaton

 

  

O trabalho acima do artista Jeremiah Goodman  é fabuloso

 

   

Watercolor de Cecil Beaton   

Living Room de Elsie de Wolfe, do pintor americano Walter Gay

  
 

David Hockney

 

 

 Ipad Art por David Hockney

 

 

Watercolor de Serebriakoff que pintou o decor e o traje de todos os convidados do inesquecível Baile Oriental ( 1969 ) no Hotel Lambert, residência  do Barão e Baronesa de Rothschild na época

 

   

 Givenchy home pir Mark Hampton

 

 
 

Outro projeto ilustrado por Mark Hampton