The Last Tycoons

 DOUGLAS FAIRBANKS JR

 MMM ou magnânimo mundo dos magnatas tem histórias e passagens curiosas. Selecionei alguns dos magnatas do século XX que mais admiro seja pela beleza, maneira de vestir, morar e claro pelo talento para fazer ou preservar milhões. Nem tudo é ouro na vida encantada destes magnatas. Alguns atraíram fortunas, amores e tragédias com a mesma facilidade. Outros mais sortudos, parecem ter vivido felizes para sempre. Nos anos 60/70, o estilo conhecido como “Estilo dos Milionários”, passou a ser mais amplo, diversificado e único. Cada magnata tinha o dever de ser diferente. A revista Forbes que anualmente publica a lista os bilionários, me faz lembrar que cada vez mais não são as cifras que os unem mas sim a unanimidade na falta de estilo. Registro aqui alguns dos magnatas que mais admiro. Vida longa a estes magnatas de grande estilo e que venham outros para fazer história!

O ator americano DFJ, é imbatível na beleza clássica e maneira de vestir. Casou se diversas vezes, sendo a primeira com a inesquecível atriz Joan Crawford. Seu pai, Douglas Fairbanks , também ator, foi um dos fundadores da United Artists junto com Charles Chaplin. 
HOWARD HUGHES  
Bilionário americano , precursor na aviação, era cheio de manias e até violento.Certa vez bateu na atriz Ava Gardner que não deixou barato e tacou-lhe um cinzeiro de pedra na testa.


WILLIAM HANDOLF HEARST 
WRH, do Império Hearst de jornais e revistas, era megalomaníaco e excêntrico. Ceta vez visitei seu castelo em San Simeon na Califórnia. O famoso Hearst Castle com vista para o Pacífico, tem uma das maiores piscinas do mundo. Outra piscina interna, também gigantesca, serviu de cenário para o filme Cocoon de 1985. Mr. Hearst criava animais exóticos soltos pela propriedade. O castelo de gosto eclético-duvidoso não me fascinou mas a piscina acima me faz sonhar em voltar. Catchup e mostarda não podiam faltar à mesa até mesmo em jantares de gala. Nada chic, mas quem ousaria contrariar o temido grande senhor da imprensa, que dizem, tinha poder para ocultar barbaridades. 


PRINCE ALI KHAN  
O príncipe Ali Khan parecia o homem ideal para a mulher mais linda do cinema dos anos 40. Rita Hayworth que já havia se casado duas vezes antes, casou se com Ali Khan na Côte D’Azur .fanático por aitomóveis, mandava customizar sua máquinas com detalhes únicos e inéditos. Tudo corria com um conto de fadas mas em poucos anos a famosa frase ” Os homens dormem com Gilda e acordam com Rita” dita pela atriz,  parecia desmantelar a aura de diva hollywodiana que via em Rita. O príncipe  que não tinha total independência financeira, saiu do casamento com todo o dinheiro que Rita ganhou no cinema. 

ARTURO LOPEZ WILLSHAW

 
O bilionário chileno Arturo Lopez Willshaw, ou Arturito para os amigos, casou se pela primeira vez com Sara Willshaw por ser apaixonado pelo irmão dela. Patrícia Huici, sua segunda esposa, sobrinha da grande milionária e estilosa Eugenia Errázurriz, era a mulher perfeita, parceira ideal para sua vida gay assumida só para os íntimos. Sua maior ocupação era gastar, comprar obras de arte e patrocinar as reformas de Versailles. Arturito considerava-se um mini Louis XIV, muita pretensão para um chileno como diziam os franceses mas enfim o dinheiro compra quase tudo. Em 1928 comprou o maravilhoso hotel particulier em Neuilly sur Seine, construído por Paul Rodocanachi ( tenho duas cadeiras de Rodocanachi na minha sala de jantar-biblioteca). Nos anos 30, seu yatch Gaivota recebia o crème de la crème parisiense. Dizem que Arturito pagou 1 milhão de dólares para que o Barão Alexis de Redé viesse de NY para viver em Paris. Arturito instalou o nobre amigo no Hôtel Lambert, considerada residência particular mais sofisticada e cara do mundo. Logo abaixo, mais detalhes da relação entre Arturito e Alexis. Sua mulher Patricia, foi a primeira cliente de Yves Saint Laurent Haute Couture. 

 

BARON ALEXIS DE REDÉ


Nobre e refinado, o Barão Alexis de Redé filho de banqueiros, nasceu em berço explêndido mas o pai perdeu tudo enquanto ainda era adolescente. Alexis parece ter nascido com o bumbum virado para a lua. Seu gosto super apurado encantou Arturito que caiu de amores e o instalou no Hôtel Lambert na Isle St Louis em Paris. Tudo que Alexis tocava virava ouro e assim deu varios conselhos financeiros produtivos ao amigo magnata chileno. Em seu testamento, Arturo Lopez deixou em 1962, metade de sua fortuna para o amigo íntimo Alexis de Redé que continuou morando no Hôtel  Lambert e cuidou de várias etapas da restauração deste palacete desenhado por Louis Le Vau no século XVII. Le Vau foi um dos responsáveis pelas obras no Palácio de Versailles. Chopin e George Sand criaram obras magníficas sob o teto do Hôtel Lambert e Voltaire foi um dos ilustres moradores. A coleção de sapatos do Barão Alexis de Redé, faz parte hoje do acervo do Museu de Artes Decorativas em Paris. A maioria dos deles, todos sob medida, são do inlgês Anthony Cleverley.

BARON GUY DE ROTHSCHILD 

Rothschild é daqueles nomes que só de ler ou pronunciar parece que nossa conta no banco aumenta consideravelmente. Este é o poder da mente. Parecer íntimo dos Rothschild ou ao menos de suas histórias, também dá um certo up grade a qualquer um. O Barão Guy de Rothschild é daquelas figuras que só de olhar uma foto dá para sacar que foi magnata em todas as suas vidas anteriores e que se nascer sem posses em alguma próxima vida, vai dar meia volta e dizer que não tem talento para ser pobre. O casal Marie-Hélène e Guy proporcionaram as festas, os jantares e os bailes mais badalados de Paris ou até mesmo da Europa nos anos 60 e 70. Os bailes de inverno ou verão eram produzidos com toda a pompa, circunstância e muita criatividade. O Château de Férrieres e posteriormente o Hôtel Lambert adquirido por Guy em 1975, serviram de palco para estas festas onde todos eram finos, famosos ou ricos ou pacote completo : fino, lindo, famoso e muito rico. O Barão Alexis de Redé era o melhor amigo de Marie-Hélène e como passava por dificuldade financeira devido aos impostos altíssimos na França, MH pediu a Guy que comprasse o Hôtel Lambert. Pedido concedido, os Rothschild se instalaram ali e pouparam o amigo quase falido que continuou morando numa parte do hôtel particulier até o fim de seus dias. 

ARISTOTELE ONASSIS 
  

 

Onassis não era extamente bonitão mas qdo jovem parecia ser bem gostoso como um pão grego. Vivia com óculos escuros produzidos por uma empresa francesa que infelizmente acho que fechou mas tive a oportunidade de encomendar um par de óculos de grau de tartaruga legítima. Com cara de quem estava sempre de bode, Onassis era o típico capricorniano. Skorpios, sua ilha particular, guarda seus restos mortais assim como os da filha Christina, mãe de Athina que é casada com o brasileiro Doda Miranda. Jacqueline é uma das poucas mulheres que tiveram dois sobrenomes de peso. É como se fossem duas mulheres, dois estilos de vida em uma só : Jackie Kennedy e Jackie O. Amo as duas! 

NELSON ROCKFELLER 
 
  

Filho de peixe grande pouca coisa não é. Nelson Rockfeller era filho de John D. Rockfeller Jr. e neto de John D. Rockfeller, que foi considerado o homem mais rico do mundo. NR foi vice presidente dos USA e presidiu com charme, força e muito talento o Império deixado pelo avô. Além de lindo e sábio, contratou o maior gênio do decor/design para criar os interiores de seu apto em NY localizado na Fifth Avenue. Jean-Michel Frank assinou os interiores em 1937 contrastando cores como magenta e amarelo para realçar as obras de arte coloridas intaladas nas pareds revestidas de placas de madeira. Mobiliário exclusivo for desenhado por JMF. O par de mesas auxikiares de marfim é uma preciosidade. Tive a oportunidade de ver estas mesas alguns anos atrás durante o Salão de Antiguidades de Paris. Quase chorei de emoção. As mesas com shape suave, tem o tampo todo de patchwork geométrico de lâminas de marfim. Foram vendidas por mais de 1 milhão de Euros. Parabéns N R por contratar um dos mais talentosos criadores do século XX. JMF suicidou se alguns anos depois atirando se do Chrysler. O Salão Rockfeller acima é um ícone no mundo da decoração! Não basta ser magnata. Tem que ter estilo e patrocinar os nomes certos!
GIANNI AGNELLI

  

O torinese Gianni Agnelli foi o principal acionista da Fiat. Até hoje é nome constante na lista dos homens mais bem vestidos do século XX. Conhecido como L’Avoccato,  era formado em advocacia embora nunca tenha sido admitido pela Ordem dos Advogados. GA era casado com a Princesa Marella Caracciolo di Castagneto. Marella Agnelli não era exatamente linda, mas tinha porte e gosto insuperáveis. Muito se fala sobre a maneira de vestir de GA. Seus ternos de corte clássico eram todos bespoke by Caraceni. O termo “sprezzatura” , que significa a arte italiana de tornar o difícil parecer fácil, é usado no mundo da moda masculina para identificar uma maneira de vestir que aparente ser casual mesmo que formal. É a arte de deixar o homem ultra bem vestido a vontade com o que usa ao invés de parecer um boneco estático. Como se a roupa e o homem estivessem em perfeita sintonia e mesmo que seja tudo pensado, o resultado deve sempre parecer não elaborado e sim super casual. Tenho dúvidas se considero Signore Agnelli um bom e exemplo de sprezzatura devido ao seu porte extremamente sério. Relógio sobre o punho esquerdo da camisa é sua marca registrada. Morava em Milão quando GA faleceu. O país ficou em tristeza profunda. Lembro que naquela época achava um chatme o relógio sobre o punho da canisa mas nem por isso copiei. Hoje considero algo de extremo mau gosto. Cada vez mais depuro meu senso estético para mostrar menos. Gianni Agnelli era pisciano, que me perdoem todos e todas deste signo mas apuro estético é uma característica a ser desenvolvida por este signo. Embora romãntico, o pisciano possui muitos outros talentos mas a perfeição estética está longe de ser seu ponto forte inclusive pelo atrapalhado senso de decisão. As casas dos Agnelli representam o alto luxo italiano. Foram decoradas pelos maiores nomes do decor como o italiano Renzo Mongiardino mas também por Stéphane Boudin que dirigia a Maison Jansen durante a primeira metade do século XX. O extenso sofá de cetim de seda pistache do living, assim como as suítes riquíssimas de Gianni e também os aposentos de Marella ( o casal dormia em quartos separados) no mais autêntico estilo italiano, foram decoradas por Boudin, que considero o Decorador dos decoradores. Até hoje o sobrenome Agnelli é sinônimo de grande estilo. Sem dúvida foi um Grand Seigneur! 

  
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *