Loft Blue

     

Entregar um projeto de decoração é tão gratificante quanto começar a criá-lo. Este Loft que acabo de decorar, tem um histórico singular. O cliente, um jovem profissional da área da beleza,  queria cores alegres e para cima. Nas reuniões, a preocupação com os tons era frequente. Meu trabalho de criador/decorador é bem particular: não costumo revelar 100% de como ficará o trabalho finalizado. Esta é uma forte característica de quem cria. Nem sempre o cliente tem a mesma visão espacial, noção do conjunto, o que por um lado é bom para surpreendê-lo com o resultado. Como prometi em post anterior, seguem algumas dicas para nortear a equação da boa decoração, economizando aqui e ali, investindo em ítens eternos e valorizando o desejo do cliente!

• Depois do quebra quebra aqui e ali para a aumentar a área social, escollhi um tom suave e ttranquilo para as paredes. Chamei de Azul Cristalino este tom azulado com uma gota de verde. O truque para ampliar visualmente e dar unidade a toda a área social, foi pintar as portas (entrada e lavabo ) na mesma cor das paredes. Somente a guarnicão das portas, rodapés e foram pintados de branco. Teto branco também ilumina o ambiente.

• Sugeri ao cliente que ao invés de muitos quadros, e muiiiitoooosss objetos, investíssemos em móveis da melhor qualidade. Passamos quase dois anos garimpando em leilões , antiquários nacionais e internacionais e alguns sales imperdíveis. Enquanto a construtora seguia com a obra, já estávamos colecionando peças incríveis. Alguns pensam que só se deve comprar quando o apartamento já está entregue. Nada disso. O cliente que busca un profissional, o faz justamente para direcioná-lo e deve confiar em seu arquiteto ou decorador. Em dois anos, a oportunidade de comprar móveis especiais em sales é maior do que sair a procura de tudo assim que o apartamento for entregue. O prazer de mudar de casa, de chamar um decorador, é curtir cada etapa, aprender um pouco sobre estilo, conhecer nomes de designers e artistas …

• Neste projeto, trouxemos de fora um par de poltronas italianas fifties de Marco Zanuzo. Era o início das aquisições então gastar um pouquinho a mais logo de cara faz parte, desde que sejam peças eternas como estas.  Em seguida equilibramos o budget  com outros ítens.  A compra valeu: compramos 2 das 4 poltronas a venda. Apesar do valor alto, as outras 2 foram adquiridas pela Galeria Nilufar de Milão e que sem dúvida colocou a vendeu por pelo menos 5 vezes o valor que meu cliente pagou 

• Para equilibrar a aquisição das poltronas citadas acima, o sofá chesterfield da saleta em frente ao living, veio de um Família Muda -se e o tecido 100% algodão em micro estampa geométrica, compramos na Cinerama no Itaim. O metro não saiu mais que R$ 30,00. 

• As cortinas em ikat de algodão em tons de cinza também garimpei na Cinerama por um precinho camarada.

• O sofá do living, um Dinucci super chic anos 40, ganhou revestimento nobre de veludo italiano Rubelli. Misture tecidos da melhor qualidade com outros mais em conta mas que sejam puros e não sintéticos. O resultado é incrivel pois faz parecer que tudo é importado.

•O cliente queria muito duas coisas: parede de espelhos e um biombo. Feito! A parede atrás do sofá foi revestida em retangulos de espelho e o “dente” que o lavabo cria na saleta também. Espelho é sempre fascinante ainda mais quando uma placa espelhada é colocada em frente a outra em algum ponto do ambiente como usei neste projeto. O volume do lavabo ficou disfarçado e este “dente” revestido de espelho cria uma certa magia refletindo a parede de espelhos do living. 

• O biombo também Dinucci foi comprado no mesmo local que o sofá. Como a sorte estava a nosso favor, a loja passou o valor errado do biombo e já que compramos outras peças, o antiquario manteve o valor inferior. O cliente então me perguntou: vc acha que devo comprar? Respondi: it’s now or never! 

• Se me lembro bem, a primeira peça que me apaixonei para este projeto, foi a mesa de centro italiana branca em forma de seixo rolado. é inusitada, arrojada e une com perfeita harmonia a sequência de shapes de 3 décadas subsequentes: sofá Dinucci anos 40 com encosto arredondado, par de poltronas Zanuzo anos 50 com braços em ameba, e mesa contemporânea ovalada mas com total cara anos 60. 

• O decor deve sempre começar pelo tapete, que é a base que sustenta o ambiente. Esta dica infelizmente não funciona muito aqui no Brasil. Em geral as pessoas acham que o tapete é a última coisa. Costumo mostrar 2 ou 3 opçoes de cada peça importante para o cliente, mas no caso do tapete do living, só levei este arrojadíssimo de lã e seda com elipses em ton sur ton de azul. Assim que instalado, pensei : é a cereja do bolo. 

• Como uma boa peça pede outra, assim que esticado o tapete, posicionei este par magnífico de poltronas francesas estilo Louis XV, fim séc 19, revestidas de tecido adamascado da melhor qualidade na cor damasco. Laranja e azul são cores complementares e de uma beleza que pode ser clássica ou moderna dependendo das tonalidades.

Saboreiem mais este Decor FR em tons de azul cristalino, azul imensidão, marfim, celadon, salmon, cinza do bom, cru, preto, ouro, prata , cereja e finalizado com calda de damasco encorpado. 

Agradecimentos: o fricassé de orquídeas encomendei a querida florista Lucia Milan, expert no assunto! 

  

   

  

  

  

  

  

  

 

  

9 comentários sobre “Loft Blue

  1. Que projeto lindo, Fabrizio! Uma aula de bom gosto! Uma curiosidade: de quais artistas são as obras de arte? O de flores coloridas é um Andy Warhol!? Grande abraço

  2. Ao ler o relato do profissional Fabrizio Rollo, a observação que me vem de pronto relaciona-se à expertise e à curadoria presentes nos achados que dão vida ao espaço construído. Mas, seguramente, o q mais me encanta é o q está por trás do biombo, do sofá de veludo de cor chiquérrima, da mesa branca de centro. Na verdade, é o gesto, é a partilha das descobertas, garimpos e truques( e quem não gosta de um tecido baratinho convivendo de perto com o importado imponente!) com a tchurma do lado de cá.
    Me permite, Lord, seu coração é Azul Cristalino!
    Aguardando outros tantos, com expectativa, adorei.
    Bjk

  3. Obrigado, Fabrizio! A fotografia da grande flor branca é realmente linda! Gostei muito também da gravura com formas abstratas em azul! Abração

  4. Ficou lindo! Adorei seu relato do processo criativo! E o respeito e adequação/adaptação ao orçamento: o importante é saber onde vale realmente investir e onde dá para segurar um pouco. Parabéns, você é muito talentoso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *